©2018 by Eté.

Design Isabela Avellar

Candidato Bolsonaro é esfaqueado em Minas Gerais: veja o que declararam os/as presidenciáveis

September 7, 2018

 Foto: Raysa Leite

 

Na tarde de ontem, 6, o candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, sofreu um ataque a faca durante atividade de campanha em Juiz de Fora (MG). O episódio repercute na mídia nacional e internacional. Todos/as os/as presidenciáveis se manifestaram em suas redes oficiais repudiando ato de violência. Aqui, você confere o que cada candidato declarou.

 

Álvaro Dias (Podemos): “Repudio veementemente qualquer forma de violência. E também o estímulo à violência”

O candidato fez uma transmissão ao vivo em sua página do Facebook. “Lamento profundamente o ocorrido hoje, em Minas Gerais, com o candidato Jair Bolsonaro. Quero desejar a ele pronto restabelecimento. Eu repudio veementemente qualquer forma de violência. Contra candidatos, contra eleitores, contra mulheres, contra o cidadão. Repudiamos também o estímulo à violência. Há os que estimulam a violência. O ódio e a intolerância alimentam a violência. E o ódio e a intolerância trabalham contra a democracia”.

 

Cabo Daciolo (Patriota) : “Repudiamos com o mais absoluto vigor o ato de violência que sofreu o candidato Bosonaro”

Daciolo postou declaração em sua página no Facebook: "Repudiamos com o mais absoluto vigor o ato de violência, desferido por meio de uma facada, que sofreu agora há pouco o candidato Jair Bolsonaro, enquanto fazia campanha em Juiz de Fora. A nossa guerra não é contra homens, mas contra principados e potestades. Estimamos melhoras ao Jair Bolsonaro. Vamos ficar todos em oração!”

 

Ciro Gomes (PDT): “Repudio a violência como linguagem política” 

Também através de sua página no Facebook, Ciro declarou: “Acabo de ser informado em Caruaru, Pernambuco, onde estou, que o Deputado Jair Bolsonaro sofreu um ferimento a faca. Repudio a violência como linguagem política, solidarizo-me com meu opositor e exijo que as autoridades identifiquem e punam o ou os responsáveis por esta barbárie. Cancelei minhas atividades de campanha em Natal (RN) nesta quinta-feira devido ao atentado contra o deputado Jair Bolsonaro. Desejo que ele se recupere, possa superar este momento e prontamente volte ao debate brasileiro”.

 

Eymael (Democracia Cristã): “Atentado à democracia”

O candidato divulgou, em sua página no Facebook, nota oficial de seu partido: “A Comissão Executiva do Diretório Nacional da Democracia Cristã vem pela presente Nota Oficial manifestar seu repúdio ao brutal e covarde atentado de que foi vítima o candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bosonaro, em plena campanha eleitoral, em Juiz de Fora – MG. Essa agressão afronta o Estado Democrático de Direito e fere, também, de fora vil toda a Nação. Solidária, a Democracia Cristã formula votos de pronto restabelecimento ao candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro.

 

Geraldo Alckmin (PSDB): “Qualquer ato de violência é deplorável”

Em sua página no Facebook, declarou: “Política se faz com diálogo e convencimento, jamais com ódio. Qualquer ato de violência é deplorável. Esperamos que a investigação sobre o ataque ao deputado Jair Bolsonaro seja rápida, e a punição, exemplar. Esperamos que o candidato se recupere rapidamente”. 

 

Guilherme Boulos (PSOL): “Repudiamos toda e qualquer ação de ódio”.

Boulos declarou em sua conta oficial no Twitter: “Soube agora do que ocorreu com Bolsonaro em Minas. A violência não se justifica, não pode tomar o lugar do debate político. Repudiamos toda e qualquer ação de ódio e cobramos investigação sobre o fato.”

 

Henrique Meirelles (MDB): “O Brasil precisa encontrar o equilíbrio e o caminho da paz”

O candidato postou em sua página no Facebook: “Desejo pronta recuperação a Jair Bolsonaro. Lamento todo e qualquer tipo de violência. O Brasil precisa encontrar o equilíbrio e o caminho da paz. Temos que ter serenidade para apaziguar a divisão entre os brasileiros.”

 

João Amoêdo (Partido Novo): “É lamentável e inaceitável”

Amoedo declarou em sua página no Facebook: “É lamentável e inaceitável o que aconteceu há pouco com o candidato Jair Bolsonaro. Independentemente de divergências políticas, não é possível aceitar nenhum ato de violência. O Brasil lutou muito para voltar à democracia e a ter eleições limpas e livres. A violência não pode colocar essas conquistas em risco. Que o agressor sofra as devidas punições. Meus votos de melhoras para o candidato”.

 

João Goulart Filho (Partido Pátria Livre): “Esperamos apuração célere e punição exemplar dos responsáveis”

O candidato também se pronunciou através do Facebook: “Repudiamos todo ato de violência contra qualquer ser humano. Quem já sentiu na carne a crueldade da violência não pode compactuar com tais atos. Esperamos uma apuração célere e punição exemplar dos responsáveis”.

 

Lula (PT): presidenta do PT, Gleisi Hoffmann, manifestou repúdio. “Nenhum ato de violência é justificável”

A conta oficial de Lula no Twitter postou declaração de Gleisi Hoffmann, presidenta do PT. “É lamentável. Nenhum ato de violência é justificável. A política não pode ser uma seara de violência. Nós não podemos ter, na política, ações de violência e normalizar isso. É muito ruim. Em nenhuma esfera da vida a violência é justificável. A política é o espaço de debate, de posicionamento, de enfrentamento das ideias. Nós lamentamos muito o que aconteceu. Acho que quem praticou tem que responder e ser chamado à responsabilidade”.

 

Marina Silva (Rede Sustentabilidade): “Quero repudiar a violência, que deve ser condenada, venha de onde vier, seja contra quem for”

Marina Silva postou vídeo em seu Facebook: “Em primeiro lugar, rogo a Deus pela vida e pela plena recuperação da saúde do deputado Jair Bolsonaro, pela sua segurança e de sua família. Segundo, quero repudiar a violência, que deve ser condenada, venha de onde vier, seja contra quem for. Terceiro, exigir do governo federal que investigue com rigor esse crime, para mostrar com clareza tudo o que aconteceu, de modo a não deixar a população brasileira à mercê de boatos e sem informação confiável. E que o culpado, ou culpados, sejam punidos pela justiça, na forma da lei. Finalmente, quero pedir a todos os brasileiros e brasileiras: vamos impedir que a violência tome conta de nosso país, começando por não permitir que ela tome conta de nós mesmos”.

 

Vera Lúcia (PSTU): “Consideramos inaceitável esse tipo de coisa em meio à disputa eleitoral em curso”

A candidata publicou nota oficial em sua página no Facebook: “Deve ser totalmente repudiada a agressão com uma faca ao candidato Jair Bolsonaro (PSL). Consideramos inaceitável esse tipo de coisa em meio à disputa eleitoral em curso. O PSTU acredita também que a pregação do próprio Bolsonaro a favor de resolver tudo à bala, de “fuzilamento dos petralhas”, entre outras mensagens de ódio, acaba por estimular este tipo de atitude da qual ele agora é vitima, embora não a justifique”.

 

Hoje, 7, a página de Jair Bolsonaro publicou a seguinte mensagem, assinada pelo candidato: "Estou bem e me recuperando! Agradeço do fundo do meu coração a Deus, minha esposa e filhos, que estão ao meu lado, aos médicos que estão cuidando de mim e que são essenciais para que eu possa continuar com vocês aqui na terra, e a todos pelo apoio e orações!”

Abaixo, publicamos o boletim médico oficial divulgado pelo Hospital Albert Einstein, em São Paulo, para onde Jair Bolsonaro foi transferido após atendimento e realização de cirurgia na Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora.

 

 

 

Please reload

Posts Recentes

Please reload

Arquivo

Please reload

Tags

Please reload